A Web 2.0

"Web 2.0 foi um termo cunhado em 2003 pela empresa norteamericana O’Reilly Media para designar uma segunda geração de comunidades e serviços baseados na plataforma Web, como wikis, aplicações baseadas em folksonomia e redes sociais. Embora o termo sugira a existência uma nova versão da Web, ele não se refere tanto à actualização nas suas especificações técnicas, mas a uma mudança na forma como a Internet é encarada por utilizadores e desenvolvedores." (in wikipedia).

Um filme muito popular no Youtube ( http://www.youtube.com/watch?v=NJsacDCsiPg   ) sobre a Web 2.0 afirma que a máquina somos nós. Traduzindo o entusiasmo despertado pela Web 2.0, a revista Time elegeunos (You) como personalidade do ano 2006 ( http://www.time.com/time/magazine/article/0,9171,1569514,00.html   )

Que estranho fenómeno será então este que coloca o sujeito no centro da actual (r)evolução tecnológica em curso? De que forma as escolas, e em particular as bibliotecas, poderão/deverão conduzir o seu plano de acção tendo em conta os novos serviços e funcionalidades que fazem do utilizador um participante activo na construção do conhecimento?

Figura 1 – A Web 1.0 versus Web 2.0.

A expressão Web 2.0, nas palavras de Tim O’Reilly, não tem fronteiras bem definidas, mas sim, um núcleo gravitacional, onde orbitam vários conceitos e recomendações das quais se destacam:

A Web como plataforma

Podese visualizar a Web 2.0 como um conjunto de princípios e práticas que interligam uma rede de sítios e serviços com os quais os utilizadores interagem e aos quais acrescentam valor. Se antes a web era estruturada por meio de sítios que disponibilizavam conteúdo online, de maneira estática, sem oferecer a possibilidade de interacção aos internautas, agora é possível criar uma conexão por meio das comunidades de utilizadores com interesses em comum. Muitos destes sítios tornaramse verdadeiros aplicativos (ex. Google, que disponibiliza processador de texto, gestor de correio, folha de cálculo, apresentação electrónica, agenda, agregador de conteúdos, etc.). As suas funcionalidades, a maioria das quais de acesso gratuito e "user friendly", possuem a sofisticação de softwares que antes apenas tínhamos no disco rígido do computador.

Inteligência colectiva

Na base da Web 2.0 está a participação dos utilizadores: eles acrescentam valor à rede, o serviço melhora quanto mais pessoas o usam, qualquer utilizador pode criar conteúdos e avaliar os que encontra (ratting).

À medida que os utilizadores adicionam conteúdo e sítios novos, esses passam a integrar a estrutura da rede sempre que outros utilizadores descobrem o conteúdo e se ligam a ele. Do mesmo modo que se formam sinapses no cérebro – com as associações fortalecendose em função da repetição ou da intensidade – a rede de conexões cresce organicamente, como resultado da actividade colectiva de todos os utilizadores da rede – transformando a web numa espécie de cérebro global.

Figura 2 – Mapa de noções de Web 2.0 desenvolvido durante uma sessão de brainstorming durante a FOO Camp, uma conferência na O’Reilly Media.

Mais do que uma tecnologia, a Web 2.0 pode então ser definida como uma nova atitude e como uma nova forma de as pessoas se relacionarem com a Internet: a rede deixa de ligar apenas máquinas, passa a unir pessoas, um processo com implicações sociais profundas. As escolas, talvez a instituição onde as mudanças ocorrem mais lentamente, acordam lentamente para a nova realidade da Web, e são os jovens (fundamentalmente mediante as redes sociais, por ex. hi5, com todos os perigos que representam) quem primeiro traz a Web 2.0 para os computadores da escola.

Entretanto, como acontece com a sucessivas versões de software às quais a Web 2.0 foi buscar a analogia do número, novas webs se anunciam (3.0, 4.0,…, com o desenvolvimento da Web semântica e de novas linguagens de programação.

Figura 3 – Mapa de evolução da Web.

 

Conhecer algumas ferramentas Web 2.0 e respectivos tutoriais 

Seguindo o link abaixo, poderá ter acesso à descrição de potencialidades de algumas ferramentas web 2.0 bem como aceder a tutoriais de utilização

Aceda aqui